domingo, 27 de novembro de 2016

História do Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva.

Dizem que o Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva era um legitimo Clube do Bolinha!

Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva foto gentileza Alexandre Fressatto

Quem não lembra das clássicas revistas em quadrinho da Luluzinha? Passei boa parte da minha infância me deliciando nas aventuras dessa turma, cujo tema principal era a relação conflituosa entre meninos e meninas! Os meninos reuniam-se sempre em um clubinho feito de madeira que tinha na porta a inscrição: MENINA NÃO ENTRA! Por sua vez, as meninas faziam mil planos para driblar a regra e finalmente descobrir o que de tão especial os meninos faziam juntos.

Pois é… Com o tempo descobri que o Clube do Bolinha é uma metáfora bem humorada do cotidiano de mulheres que dia a dia tentam entrar em espaços historicamente ditos como masculino, seja nas profissões, ou nas ciências, seja em casa...etc.

Fonte: http://www.pelostrilhos.net/

A escola ferroviária de Curitiba foi fundada por Durival Britto em 11 de abril de 1944, funcionava em um prédio adjunto ao Hospital Ferroviário, hoje Hospital Cajuru, foi transferida ao bairro chamado de Vila Oficinas, inicialmente chamada de Escola de Artes e Ofícios, era inicialmente destinada a filhos de ferroviários, depois passou a denominar-se Ginásio Ferroviário, que além do ofício, os jovens que nela ingressavam obtinham o curso ginasial. O bairro Vila Oficinas tem esse nome em homenagem as Oficinas da RVPSC, inauguradas pelo Presidente Getúlio Vargas na década de 1940.


Na década de 1970 passou a denominar-se Centro de Formação Profissional Coronel DurivalBritto e Silva, e o ingresso ao cargo de aluno-aprendiz seria realizado após aprovação em Concurso Público, o Centro de Formação tinha acordo com o Senai, o que melhorava em muito o programa e o currículo dos cursos, que tinham duração de 3 anos. O último Concurso Público foi realizado em 1994.

Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva foto gentileza Alexandre Fressatto

Quanto a origem da escola... tudo começou com as atividades de desenvolvimento de pessoal na Rede de Viação Paraná Santa Catarina, tiveram início em 1940, na administração do Cel. Durival Britto e Silva. Criou-se o Serviço de Ensino e Seleção Profissional – SESP que tinha por finalidade a formação e seleção de pessoal para os serviços da Ferrovia e o aperfeiçoamento de seus servidores. Em 1944, visando ampliar as atividades do SESP, o Cel. Durival Britto e Silva criou a Escola Profissional Ferroviária Coronel Durival Britto, para dar formação profissional a filhos de ferroviários, preferencialmente.

Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva foto gentileza Alexandre Fressatto

A escolha do patrono da escola foi de iniciativa dos próprios ferroviários, conforme a solicitação que fizeram ao Ministério da Viação e Obras Públicas, o qual aprovou o justo e espontâneo gesto da classe ferroviária do Paraná. A partir de 1971, com a implantação Lei n.º 5692/71 que traçou novas diretrizes para a Educação Nacional, a Rede Ferroviária Federal S/A, em convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, determinou modificações profundas em seu Sistema de Ensino. 

Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva foto gentileza Alexandre Fressatto

Como consequência, o Ginásio Ferroviário tomou a denominação de Centro de Formação Profissional “Cel. Durival Britto e Silva”, adequando sua estrutura administrativa e curricular às necessidades da Empresa Mantenedora e mercado de trabalho, a orientação do SENAI através da metodologia da formação profissional.

Centro de Formação Profissional Coronel Durival Britto e Silva foto gentileza Alexandre Fressatto

Fontes: 
http://www.educacao.curitiba.pr.gov.br/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Durival_Britto_e_Silva

2 comentários:

  1. ótima resenha sobre o nosso eterno CFP, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. ...e em 2017...

    Mas sério mesmo para o ano de 2017, é o seguinte:

    O problema é a SUAVE & disfarçada truculência do PeTê... Repare:
    É evidente que o Petismo se utiliza de técnicas das mais brilhantes de publicidade, brilhantes, mas ENGANA-TROUXA...

    Petista apenas & só se preocupa com PSDB e outras ASNEIRAS. Que amor enrustido! Só fala a toda hora e minuto sobre PSDB etc.

    Mas petista nem se lembram do PeTê mesmo… Vejam um único exemplo bem simples:

    ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
    A Semiótica do Coração Valente
    ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    Mas quanto a tudo isso o que importa é a publicidade & a propaganda, somada com a baranguice de VELHA — tal qual Dilma. Eis:

    Grave mesmo é isso aqui:

    GOLPE e «CORAÇÃO VALENTE»:

    São clichês publicitários elaborados por 1 publicitário! Tal qual o preso milionário JOÃO SANTANA (o “Feira”…). São tais quais a frase publicitária de iogurte da DANONE, assim, veja:
    «DANONINHO VALE POR 1 BIFINHO». [ou: “CVC pensando em você”].

    Nunca jamais houve GOLPE; assim como DANONINHO jamais VALE POR 1 BIFINHO… E o slogan petista “Coração Valente” é uma frase feliz em termos publicitários (fazer a cabeça via mitologia), mas de um vigarismo extraordinário.

    [e reparem.., tudo isso tem a ver com Educação grosseira do Governo Petista. A pior da América inteira].

    ResponderExcluir