sábado, 1 de dezembro de 2012

O símbolo da RFFSA.

AS FERROVIAS do mundo inteiro possuem seus próprios símbolos, quer sejam expostos em cada unidade do material rodante, como os Carros, Vagões e Locomotivas.

O símbolo da RFFSA – exemplo de perfeição estética com simplicidade de imagem.

Em 1966 a RFFSA realizou um concurso entre estudantes da categoria do ensino médio e de ensino superior em Desenho Industrial, Arquitetura e Engenharia para a escolha de um símbolo que representasse a marca da empresa.


A empresa pública pretendia com isto, como rezava seu Edital, "despertar a juventude estudiosa para a importância de uma empresa tão vinculada à economia e à segurança da nação", além de "estimular a criatividade dos jovens iniciantes no design, deles colhendo concreta colaboração, para perpetuar, no tempo, como exemplo válido às futuras gerações".

A iniciativa da RFFSA foi bem acolhida pela imprensa e à época, despertou interesse de 300 estudantes que enviaram suas concepções gráficas.

Isso possibilitou à Comissão Julgadora de então (integrada por Antonio F. Porto Sobrinho, Mario Ritter Nunes e Armando Britto), selecionarem entre os trabalhos de alto nível técnico apresentado, eleger aquela que daria o real significado como ícone ferroviário.



1º Lugar ... Leiko Hana

Leiko Hana, à época uma aluna, assim como seus colegas concorrentes, se tornaría em breve uma arquiteta pela Faculdade de Arquitetura Mackenzie, em São Paulo (SP).

2º Lugar ... Joaquim de S. Redig de Campos

Redig é pioneiro em design no Brasil, ingressando na ESDI (UERJ) em 1968 e atuando ao lado de Aloísio Magalhâes por mais de 18 anos. Hoje, atua como professor da PUC-RJ desde 1975 e tem o seu estúdio, REDIG ASSOCIADOS.

3º Lugar ... Arthur Carlos Messina

Messina, é hoje um arquiteto e dos bons, atuando São Paulo (SP), através do CADES - Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

A partir dos anos 70 a marca desenhada pela arquiteta Leiko Hama para a RFFSA seria responsável pela definitiva identidade da empresa.

Não fosse o sucateamento, com mais de 30 anos de des-investimentos, sem dúvidas, essa logomarca da RFFSA seria um dos ícones mais precisos de sua particular semiótica, no entanto, ao menos já entrou definitivamente para a galeria da história fascinante do EXCELENTE nível que o design brasileiro atinge.


APESAR DE SEUS GESTÔRES...


CURIOSIDADE:A dupla de irmãos gaúchos Kleiton e Kledir "homenageou" a Rede Ferroviária Federal citando a estatal na música "Maria Fumaça", composição gravada em 1980 para o Festival de Música da TV Tupi (em um dos últimos momentos da histórica emissora, falida ainda naquele ano), que se tornou grande sucesso durante o evento. A música mais tarde foi incluída no LP de estréia, que leva o nome da dupla, lançado também em 1980. 


*PS: A sigla é pronunciada como "ÉRRI-ÉFI-ÉFI-ÉÇIÁ", mas, para muitos de seus funcionários, a hoje extinta RFFSA também era apelidada carinhosamente pelos ferroviários como "REFÉSA".

Fonte: http://almanaquedarffsa.blogspot.com.br  e  http://thesignstudio.blogspot.com.br

5 comentários:

  1. simbolo dos correios também teve sua história similar.
    Era pós-moderna no design quando maioria de emprêsas passaram a ter LOGOS modernistas.abraços

    ResponderExcluir
  2. Assisti o Festival Abertura,quando a dupla Kleiton e Kledir cantou Maria Fumaça.Sempre é bom resgatar a memória daquilo que foi e sempre será importante para o Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Postagem interessante e bem feita.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. e iteressante gostei .faz muitos anos que procuro por carlos pires trabalha na red ferrei de ourinhos meu tio

    ResponderExcluir
  5. e iteressante gostei .faz muitos anos que procuro por carlos pires trabalha na red ferrei de ourinhos meu tio

    ResponderExcluir